terça-feira, 11 de setembro de 2007

É só isso...

Dia cansativo,audiência longa, muito lenga-lenga discutindo nada. Mas foi bom. É bom sentir o dinamismo das coisas, ir à luta, sentir que estamos tentando chegar em algum lugar (bom, às vezes não) mesmo que no fim, as coisas não se modifiquem tanto. Mas o mais importante é a mudança, sem dúvida. Às vezes as mudanças pesam. É difícil viver só. Sem ter alguém nos dizendo o que e como fazer.Muita gente esquece que cresceu e acaba outorgando o poder de decisão a quem estiver mais perto, seja lá quem for.E a dependência faz com que o sujeito se acomode no lugar que está...Nada mais cômodo e natural.Prefiro o avesso, mesmo sendo tão custoso. Descobrir os próprios caminhos e quebrar a cara muitas vezes. As coisas prontas e decifráveis não têm graça. O caminho pré-determinado, seja pelos pais, amigos, sociedade, ou quem quer seja, nos conduz quase sempre aos mesmo lugares e a uma infinidade de vidas cheias de resignação. É estranho viver por aqui. Não sei como é a vida em outros lugares, mas,falando daqui, quase sempre as histórias são tão repetitivas que dá uma certa náusea. A gente acaba prevendo facilmente o 'grand finale' das coisas. Não sei bem porque estou escrevendo isso em tom subliminar (ou não?). Talvez seja porque ando cansada de nadar contra a maré. Parece que a vida repetida é mais confortável, dá menos trabalho. Eu juro que tentei. Mas não consigo viver assim...
-"Como vc está?"
-"Indo..."
-"Pra onde???"

Um comentário:

Rosa disse...

Vc tem um dom! Use-o! =) Parabéns pela sensibilidade e palavras certas!

Um beijo,

Rosa Maria.