segunda-feira, 20 de agosto de 2007

Pequenos Contos...

(Foto:Rita Apoena)


Ele tinha a boneca na mão. Uma boneca sem manual, veio assim mesmo, tentando se descobrir por ela mesma. Veio clandestina, sem prazo de troca, sem garantia nenhuma. Boneca estranha. Mas bonita. Bonita porque é diferente das barbies e suzy´s tão iguais. Bonita assim, do jeito dela, como seu artesão a fez. Fez com gosto. Colocou dentro do peito da menina um coração almofadado. Vermelhinho. Só que esqueceu de preencher alguns espaços vazios. Só depois ele se deu conta. Aí já era tarde, porque a coitada da bonequinha vivia querendo um abraço, um colo, só para ver se aquele vazio chato ecoando no peito, passava. E passou quando ele a segurou. Descobriu umas belezas que nem ela mesmo tinha visto. Abraçava e acalentava o coração, enchia o peito da bonequinha com o mais terno dos sentimentos. Aquele que nos faz acreditar que o coração não serve apenas para pulsar. A meninha mal respirava, era só suspiros. Mas então, eis que a vida muda tanto, e ele se foi. Como assim??? é, se foi. Gostou de outra boneca, mais parecida com ele, e se foi assim. E a nossa menina ficou meio sem saber onde ir. Fazia frio naquele espaço vazio, tão quentinho antes... E aí ela começa a vagar, meio sem saber o que fazer. Mas começa a descobrir a força das suas pernas, dos seus pés e braços. Começa a pôr os pés no chão pela primeira vez. Vai descobrindo outras paisagens, descobrindo um espelho, que a ajuda a se ver melhor. Mas, infelizmente, o coração fofinho, ainda está vazio. O frio às vezes é devastador. E ela se encolhe, na tentativa de se proteger. Ela tenta encontrar alguém que possa substituir aquele que outrora lhe dava calor, mas as tentativas se frustram...Mas, então, o criador, o artesão, finalmente a encontra, depois daquele tempo todo que a procurava. E enfim, apenas assopra a chama que sempre existiu no coraçãozinho da boneca. E ela percebe, pela primeira vez, que aquele calor sempre esteve ali. Mas ela se acostumou a colocá-lo nas mãos de alguém... E então, ela parte, carregando consigo a centelha divina que irá guiá-la...pelo resto da vida.

2 comentários:

Katarina disse...

seu blog simplesmente é perfeito! simples e perfeito... confesso que em alguns momentos me senti como essa bonequinha... e que vc descreveu tão bem!
já virei fã de carteirinha de seus posts...
bjos

Luana Magalle disse...

Não acho que conseguirei comentar tudo que quero...hehehe!
Só tenho a dizer que esses textos são lindos e se encaixam sempre em cada um de nós...
Bjão