sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Eu achava que neste dia 15/02 eu iria postar aqui um texto p/desdizer aquela angústia pós-formada de alguns posts atrás. Tinha o texto já preparado na cabeça, enfatizando que minha hora havia chegado e que eu me sentia imensamente feliz. Tudo isso porque me preparei muito p/ dar uma aula no concurso p/ professor substituto da UEPB. Estudei, me dediquei e dei a melhor aula da minha vida. Tinha certeza que ia passar. Resultado: tirei nota máxima na aula, mas perdi na prova de títulos e fiquei em 2º lugar.Eu mal acreditava. Não era possível que uma flamenguista como eu, fosse sempre a vice, como o Vasco, que eu tanto ria com seus famosos vice-campeonatos. Chorei. Chorei mais. Chorei muito.A sensação era como morrer na praia, literalmente.
Cheguei na casa da minha avó e ela, certa de que eu tinha passado, correu logo pra me abraçar. A decepção dela foi maior que a minha. Fomos para o alpendre do quintal e ficamos lá, em silêncio, como se comungássemos de uma dor igual, a dor de saber que iríamos nos separar, depois do almoço. Eu voltaria para minha casa, e deixaria a dela. Ainda dói relembrar esse momento. Mas não dói tanto pq eu sei que ela ainda está lá. Sempre vai estar.
O que mais me impressionou hoje, não foi o fato de eu não ter passado.Até porque, era como se eu tivesse sido "trocada por outra",quando vc sabe que é melhor. Primeiro, a raiva, o choro. Depois vc simplesmente olha a "troca" e diz: "e não é que eles combinam?". É quando vc percebe que nasceu pra muito mais do que aquilo. O que mais me surpreendeu mesmo, foi de ter, com uma reprovação, percebido que a dimensão das coisas que realmente importam são bem maiores do que nossa conta bancária ou a profissão que temos. E uma das melhores e mais significativas "coisas" da vida são os laços invisíveis que unem as pessoas que se amam. Minha avó sofreu comigo, mesmo tendo 80 anos e falando "curso" ao invés de "concurso" (ela nunca sabe a diferença dos dois). Meus amigos também são um caso à parte.Tato ligou p/ UEPB antes de mim. Cami colocou nossa foto no meu orkut. Deyna me escreveu um dos e-mails mais lindos que já recebi. Luana sofria antes mesmo do resultado. Camila me ligou logo cedo. Mari, se estivesse aqui, diria que vou ganhar muito mais depois.E Daniel, lindo e comunista como sempre, se revoltava junto comigo, estando sempre perto,embora longe.
Fora as surpresas que a vida nos traz. Esse blog, então, é uma fonte delas. Cybelle,Diêgo Guimarães,Marcelo,Ingrid,Erick,Cecília,Daniel Martins, Poli, Andréa,leitores tão queridos, e os mais recentes, Franco, blogueiro dos bons, e Lucas, meu colega de Faculdade que me alegrou tanto com seu comentário. Depois, outros dois telefonemas me fizeram entender tanto, que acho que a ninguém é dado o direito de esmorecer diante dos não-acontecimentos. Porque, na verdade, eles é que são os acontecimentos, são eles que juntando-se aos outros de nossa bagagem, fazem a nossa história. E perto de tantos problemas "reais" que há esta hora não deixam alguém dormir, a ninguém -e muito menos a mim- é dado o direito de se entristecer.
Hoje, gostaria de agradecer a Deus por me dar um dia 15/02 muito feliz, no qual chorei de felicidade. Só não sabia que isso iria acontecer diante do contrário do que eu esperava. Mas a vida é assim, feita de "contrários". E como diria Fábio de Melo:

Quem no certo procurou
Mas no errado se perdeu
precisou saber recomeçar
Só quem já perdeu na vida sabe o que é ganhar
Porque encontrou na derrota o motivo para lutar
E assim viu no outono a primavera
Descobriu que é no conflito que a vida faz crescer
Que o verso tem reverso
Que o direito tem avesso
Que o de graça tem seu preço
Que a vida tem contrários...

6 comentários:

Gêuda disse...

Viviane,

li seu texto e me identifiquei muito com a situação, pois já passei por algo semelhante, portanto, me sinto no direito de afirmar que vc é muito mais que isso e teu talento (explicito em teus textos) não irá se prender a algo tão transitório.

Bjs (sou tia de Luana, kiki)

Geuda

Poliana disse...

Viviii..(feliz em ver meu nome ali.. =])
E cada novo dia nos é dada a chance de irmos além... e nem sempre vencer, é sinônimo disso...
Tenho certeza da sua força... e acho que agora vc tem mais certeza ainda, disso...
Como tanto já falaram na minha vida.. o que é teu tá guardado...e só vc, seu potencial e o momento certo vão te entregar isso!!!

Fica com Deus.. sempre!!

Daniel disse...

Fazia tempo que não lia o blog, e me surpreendi com o q estava escrito, fico feliz em ter lido (pasmem!), não por um espírito sádico mas por saber da confiança e entrega que Vivianne tem nos seus amigos freqüentadores de "nú canto" e expor tão naturalmente seus sentimentos. Quem não se identificar com a dor desse texto em algum momento de sua vida que atire a primeira pedra. Pensei em dizer alguma coisa a ela pra tentar confortá-la mas foi só ler as postagens anteriores numa ordem cronológica inversa que vi que não precisava dizer nada, já tava tudo escrito. O que tenho de dizer a autora, como um amigo (assim me considero, apesar de saber que já fui um tanto problemático, rsrs)que a forma de me solidarizar com ela eh continuar lendo o seu blog, fazer comentários, enfim, canalizar tão boas energias quanto as que aki recebo. Abraço Vivianne, e como vc mesmo disse antes, vamos à luta (sempre) porque esta é tão ou mais importante que a vitória.

tato disse...

pois é vivi... diante do seu texto tao lindo.. e de comentarios tao profundos e de carinhos sincero.. me dou o direito de ser superficial e tosco.. mas nao menos sentido... No final de tudo noa importa oq vc tem, ou o q vc conseguiu no momento... o importante e estar numa mesa qualquer bebendo cerveja, e conversando com os amigos q nao de uma hora pra outra estao com vc... vc mesma sabe q eu tb partilho de sua semi frustraçao, que entre correr e quase estar la, sobra um sentimento de injustiça. Mas bem... oq e nosso ta guardado, e sinceramente acho q vc ganhou nessa historia.. uma pena tecnicamente vc nao levar o premio... mas sabe q o melhor vc ainda tem... Uma MESA, CERVEJA e seus amigos - hehehe

beijos

Franco disse...

Querida Vivianne, fico imensamente feliz que vc tenha conseguido, em meio à decepção, perceber a grandiosidade de tais laços afetivos e efetivos: sua família, seus amigos.Sei exatamente como se sente quando tinha e tem certeza ser a melhor e mesmo assim não obter êxito para o que se pretendeu.A vida é mesmo muito surpreendente.Às vezes aceitamos, outras não.Há muitas coisas que não compreendemos... Aquilo que se encontra aomeu alcane eu buisco entender, o contrário eu deixo pra trás e sigo em frente.Perceba e sinta a vida além dessas coisas que sintimos injustas.A vida tem significado bem maior que todas essas coisas juntas. Pra muitas pessoas podem ser palavras ao vento as que digo... Mas sei que vc saberá comprendê-las.E eu não tenho dúvidas de que vc irá colher muitas coisas boas pela vida.Talvez não tenha sido a hora da colheita. Apenas isso.
Só não desanime!!!Nunca!!!Palavras de quem já passou por tudo que vc relatou aqui, tá?
Um grande bj e obrigado pela menção.
Tô sempre aqui " te" lendo ;)

deynaleao disse...

Quando respiro fundo soluço...não preciso dizer por quê, né? =] Bibi, tem uma frase de um fulano famoso (não lembro quem) que diz que você deve avaliar seu sucesso lembrando de tudo que teve que renunciar para alcançá-lo. É questão de tempo, e não de capacidade. Pra mim isso está muito claro. Nenhum leitor desse blog pode dizer que não entende o que você diz neste post. Ninguém é tão forte que nunca tenha passado por algo semelhante. Quando você pensar que o mundo te deu as costas, vamos pro shopping sentar "naquela" nossa mesinha e fazer até desconhecidos rirem das nossas conversas. Você é perita em fazer todo mundo sorrir! Até o doidinho da mesa vizinha...Beijo!