domingo, 5 de abril de 2009

Eu não sei como ela consegue entrar dentro de mim e extrair tudo e me expor de um jeito tão cruel, mas a escritora Martha Medeiros faz isso. E esse texto é muito significativo pra mim. Aliás, a verdade das coisas sempre significa muito...


" O GRITO

Não sei o que está acontecendo comigo, diz a paciente para o psiquiatra.
Ela sabe.
Não sei se gosto mesmo da minha namorada, diz um amigo para outro.
Ele sabe.
Não sei se quero continuar com a vida que tenho, pensamos em silêncio. Sabemos, sim.
Sabemos tudo o que sentimos porque algo dentro de nós grita. Tentamos abafar este grito com conversas tolas, elocubrações, esoterismo, leituras dinâmicas, namoros virtuais, mas não importa o método que iremos utilizar para procurar uma verdade que se encaixe nos nossos planos: será infrutífero. A verdade já está dentro, a verdade se impõe, fala mais alto que nós, ela grita.
Sabemos se amamos ou não alguém, mesmo que esteja escrito que é um amor que não serve, que nos rejeita, um amor que não vai resultar em nada. Costumamos desviar este amor para outro amor, um amor aceitável, fácil, sereno. Podemos dar todas as provas ao mundo de que não amamos uma pessoa e amamos outra, mas sabemos, lá dentro, quem é que está no controle.
A verdade grita. Provoca febres, salta aos olhos, desenvolve úlceras. Nosso corpo é a casa da verdade, lá de dentro vêm todas as informações que passarão por uma triagem particular: algumas verdades a gente deixa sair, outras a gente aprisiona. Mas a verdade é só uma: ninguém tem dúvida sobre si mesmo.
Podemos passar anos nos dedicando a um emprego sabendo que ele não nos trará recompensa emocional. Podemos conviver com uma pessoa mesmo sabendo que ela não merece confiança. Fazemos essas escolhas por serem as mais sensatas ou práticas, mas nem sempre elas estão de acordo com os gritos de dentro, aquelas vozes que dizem: vá por este caminho, se preferir, mas você nasceu para o caminho oposto. Até mesmo a felicidade, tão propagada, pode ser uma opção contrária ao que intimamente desejamos. Você cumpre o ritual todinho, faz tudo como o esperado, e é feliz, puxa, como é feliz. E o grito lá dentro: mas você não queria ser feliz, queria viver!
Eu não sei se teria coragem de jogar tudo para o alto.
Sabe.
Eu não sei por que sou assim.
Sabe."

Martha Medeiros

4 comentários:

Camila disse...

e num é que é verdade mesmo!

Luana Magalle disse...

A gente sabe!!!!

Acredita que li aqui e quando fui repassar para algumas pessoas que "acham" que não sabem (mas sabem), tb queria repassar para vc? Que inconsciente mais consciente!!!...hehehehe

Um beijãoo

Ana Cecília disse...

Oi Viviane!

Passei por aqui para te desejar uma Feliz Páscoa!
Que a ressureição de Jesus traga para nossos corações alegria e coragem para recomeçar sempre!!!

Bjos!

Paloma disse...

Não conhecia essa escritora, vou procurar algo sobre ela. Gostei da escrita.!

(feliz páscoa)