quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Eu acredito piamente que Deus se faz presente no presente. E Ele coloca situações, circunstâncias, e principalmente pessoas que aparecem na sua vida para te mostrar o que você teima em não ver. Passei muito tempo apegada às coisas,às pessoas, ao meu pequeno mundo e seus pequenos mistérios. Depois de penar muito, acabei percebendo que o horizonte poderia ser muito mais largo, e que a vida está aí, oferecendo-se para ser sorvida em goles, "descendo redondo" ou não.

Nos meus relacionamentos, a evolução tem sido cada vez maior. Não, não falo da evolução de namoro, noivado e casamento (porque o 4º estágio nem sempre se chama felicidade eterna) , falo da evolução real, que é aquela em que você percebe que quem está do seu lado, só está do seu lado. E essa pessoa carrega sua própria história, seus sonhos, seus desejos, seus amores e suas dores. Pode até parecer que sua "cara-metade" só pensa em você o dia inteiro, morre de amores e não vê a hora de viver o resto dos dias ao seu lado. Seria bom se fosse assim, mas não é. Na maioria das vezes, a gente lembra de quem gosta nas situações mais cotidianas, como a Dido canta, em "Thank You":

The morning rain clouds up my window,
And I can't see at all
And even if I could it'd all be grey
But your picture on my wall
It reminds me that it's not so bad
It's not so bad


Eu percebi, como toda mulher um dia há de perceber, que não adianta tentar abduzir o sujeito para seu mundo ou migrar para o dele, quiçá transformá-lo na imagem de príncipe encantado. Também isso estende-se aos homens, que sonham com uma mulher inteligente,linda,gostosa, sexy, bem-sucedida, segura de si, sem crises de histeria, ciúmes (ou qualquer outro adjetivo próprio do nosso sexo) ,amorosa, carinhosa e que esteja sempre disponível a acalentá-lo nas horas difíceis - no filme "Mulheres Perfeitas" esse sonho masculino só pode ser concretizado com um controle remoto, já que "mulher perfeita" só existe no modelo robô - .


No fim, nada disso se sustenta.



Por isso, o melhor mesmo é aproveitar a mão que segura a sua, sem que seja preciso falar muito (basta falar, hehe).Não se faz necessário ter sempre uma fórmula mágica para relacionamentos serem construídos. Basta a cumplicidade mesmo, de um botar o lixo fora enquanto o outro lava os pratos. No meio disso, o importante é cultivar o carinho, dedicar os melhores beijos, tentar ser uma mão (e não mãe) a segurar a barra junto com o outro nas horas difíceis. Não precisa de muito romance, basta ter o bem-querer. Este, não pode faltar.

2 comentários:

Daniel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel disse...

Os amigos são aqueles que estão perto de nós, de alguma forma. Não podemos cobrar muito deles, nem sermos seus tutores já que cada um carrega em si os intransferíveis problemas e as "unisensoriais" alegrias. No fim, descobrimos que quem pode mais nos ajudar, apoiar, e mudar a realidade somos nós mesmos.