quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Eleições


Estou com medo do resultado das eleições do próximo domingo. O cenário é tenebroso. Apesar dos avanços de Lula, ainda não me convenci que Dilma não é um fantoche falante. Nem que Serra não é FHC. Vou votar em Marina, porque ela me parece coerente, correta e acho que vai dar continuidade sem continuísmo. Acredito nela. Mas, apesar de ser o cargo mais importante, não é a eleição de Presidente que me assusta. Porque, lá no fundo, eu quero acreditar que o Brasil ainda terá um futuro em que o governante será importante, mas não "decisivo" para que a gestão pública funcione. Quero acreditar nisso, e por isso escolho candidatos que tenham uma bagagem que lhes permita pensar em modelos de gestão que ultrapassem as velhas políticas coronelistas.

Por isso, vou votar em Ricardo Coutinho para governador. Mas, infelizmente, há milhares de cabos eleitorais comissionados no meu pobre estado da Paraíba, que ainda temem ser demitidos caso seu coronel não seja eleito. Por isso, lotam as cidades de vermelho, na tentativa desesperada de que nada mude, para que o seu pão não seja lhes tomado. Não há como lutar contra isso.

O governador José Maranhão fez mil e um convênios irregulares nestes últimos tempos a fim de garantir a eleição à custa de dinheiro para os prefeitos (leia-se prefeitos, e não municípios). Por sua vez, os prefeitos fazem sua parte, distribuindo favores à população para que, no futuro, mais um lote de dinheiro público lhes socorra, desta vez, nas suas próprias eleições municipais.

O que realmente me assusta não são tais práticas, em um País em que numa eleição boba de uma TV, os brasileiros escolhem "Marcelo Dourado", homofóbico, violento e desrespeitoso, como um ícone que os representa. Também escolhem "Tiririca" para deputado federal sem saber que há o chamado "coeficiente eleitoral", que faz com que o voto no palhaço acabe elegendo aqueles que de palhaço nada tem, como Valdemar da Costa Neto e João Paulo Cunha, ambos mensaleiros corruptos.

O que realmente me assusta é ver como paraibanos, que tem um curso superior, que são letrados, alfabetizados e qualquer outro adjetivo que os coloque em uma posição "superior" à da "massa" (se é que existe tal posição), tem a coragem de votar em José Maranhão. Em um político que já disse inúmeras vezes que não vê razão em se fazer concurso público ( eu no lugar dele, com milhares de apadrinhamentos e comissionados políticos também não veria), que sequer recebeu os professores da UEPB para conversar sobre o fim de uma greve de fome que durou 6 meses (eu era estudante da UEPB na época e senti na pele o que é ter um governador que não prioriza a educação...perdi um semestre inteiro), em um governador que só nomeia concursados por meio de mandados de segurança, que faz empréstimos absurdos ao BNDES sem se preocupar com a conta, um governador despreparado, milionário e semi-analfabeto. Um governador que pensa na política como só e somente só um instrumento de poder e vaidade.Ver pessoas esclarecidas vestidas de vermelho, mas sem avermelhar de vergonha em eleger o mesmo candidato que atrasa a PB há dez anos.É triste.

Por muito tempo eu ainda acreditei que era possível existir uma terceira via na Paraíba, que pusesse fim ao ping-pong dos Cunha Lima x Maranhão. Hoje, eu torço para que essa terceira via ainda exista com a possibilidade de Ricardo ser eleito. Mesmo que haja coligação de tudo que é partido ao redor dessa candidatura, eu não acredito que parcerias políticas possam resumir um candidato. Se assim fosse, Lula, hoje aliado de Collor e Sarney, não teria sido um bom governante.

Alguém pode pensar que certamente eu tenho a promessa de algum cargo, ou de algum familiar que possa "ganhar" um emprego, com essa apologia a uma campanha eleitoral.
Mas não. Eu não estou ganhando nada em falar isso. A única motivação que tenho é que alguém que tenha o poder de mudar alguma coisa (você, leitor e eleitor) possa refletir mais antes de votar domingo.

Gostaria muito que, mesmo que pareça traição com os respectivos parentes apadrinhados do Governo, mesmo que você possa ganhar um emprego, ou sua família possa se beneficiar com a vitória de José Maranhão, pense nas próximas gerações. Pense que a Paraíba poderia mudar. Pense que poderia existir aqui uma gestão pública parecida com a de Eduardo Campos em Pernambuco, que fez concurso para 500 gestores em Adm. Pública, para a Polícia Civil e Militar e com essas e outras soluções simples e eficazes mudaram radicalmente o nosso estado vizinho.

João Pessoa está se tornando mais violenta a cada dia. Não existe policiamento no Estado, vivemos à mercê de bandidos que encontram na Paraíba uma terra sem lei. E não são apenas bandidos armados. São bandidos também de terno e gravata, que pedem nosso voto e nos iludem com promessas de "saúde, educação e renda", sem dizer que é uma promessa restritiva: só para eles próprios.

Cuidado, eleitor. Vote em quem lhe pareça confiável, em quem possa despertá-lhe alguma esperança em mudar o futuro da nossa cidade, do nosso Estado, do nosso País. Não vote em quem você não acredita. Não vote em que lhe promete dinheiro, porque esse dinheiro já é seu.
Espero que todos possam pensar antes de votar, porque, como diria o Gabriel-O Pensador:

"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente
A gente muda o mundo na mudança da mente
E quando a mente muda a gente anda pra frente
E quando a gente manda ninguém manda na gente

Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura
Na mudança de postura a gente fica mais seguro
Na mudança do presente a gente molda o futuro."

3 comentários:

PSICO_SINCRONICIDADE disse...

Essa vivi me surpreende a cada dia! Parabens pelo EXCELENTE post!
Tb quero acreditar na possibilidade de um segundo turno!!!!!
Abração Vivi, sou sua fã!

dra. Karina

Celina disse...

Texto nota 10!
Valeu Vivi! Compartilho do mesmo sentimento.
É quareeeeeeeeeeeeeenta!
Bj.

Elias disse...

Fiz questão de ler esse post novamente após o resultado de 31 de outubro... Com toda certeza, se mais pessoas tivessem tido a oportunidade de lê-lo a vitória teria sido ainda mais expressiva e já teria se consolidado sem necessidade de segundo turno.
Mas tem nada não, esse resultado já é uma prova de conscientização das pessoas, que deram uma ótima resposta nas urnas. Sinaliza mudanças e quem sabe uma nova Paraíba!

Beijos