quinta-feira, 10 de setembro de 2009

"Ser feliz é questão de vontade, sim"


Chega uma hora na vida em que a gente tem que escolher. E renunciar. E seguir em frente. Por muito tempo, me iludi, fazendo escolhas e ao mesmo tempo recusando ser aquilo que havia escolhido. Tudo isso porque achava que não existia um caminho meu, e outro caminho seu, eu achava que existia "o" caminho. E este caminho, perfeito e acabado, que passei tanto tempo procurando, realmente não existe, nem nunca existirá.

O que temos são caminhos novos, que a partir de nossas escolhas, serão trilhados. Cansei de fazer "jurisprudência" da minha vida. Pra quem não entende muito esses termos do juridiquês, jurisprudência são decisões que servem como referência para julgamento de um determinado assunto comum. De forma análoga, sempre pautei muito minhas decisões pelo que já havia acontecido comigo antes. Se, por exemplo, me apaixonei e sofri, eu não me apaixonava mais. Se sempre chutava letra "c" e errava, comecei a chutar na letra "a". E fui percebendo que também errava. Ou seja: apesar da minha escolha ter respaldo, na verdade, cada pergunta era única, e cada resposta também. Deve ser assim com a vida.

A gente não tem nenhuma garantia que as mesmas escolhas terão resultados iguais. E também não há como saber se escolhas diferentes produzem efeitos diferentes. Cada momento que vivemos na vida é único e "instransferível". Não dá para comparar situações, embora elas se pareçam. A gente muda todo dia. Às vezes precisamos mudar muito para continuarmos sendo a mesma pessoa.

Tenho me sentido mais feliz em perceber a maturidade dando pistas que está se aproximando de mim. Tenho tido a coragem de tentar fazer meu próprio caminho, buscando ser feliz, mais do que estar certa. Vejo que quase sempre as pessoas que menos se importam com a opinião alheia são as que são mais livres. Estou tendo a oportunidade de escolher ser feliz, embora quase sempre eu tenha optado por não despertar inveja alheia e quase até a compensar as coisas boas com outras ruins. Isso se torna um hábito muito perigoso, porque a gente começa a relativizar nossas conquistas (lembrei da música de Pato Fu: "as brigas que ganhei nem um troféu como lembrança, pra casa eu levei/ as brigas que perdi, estas sim, eu nunca esqueci..")
"-Ah, você passou no concurso? que coisa boa!!!"

"-É, mas o salário nem é tão bom..."

Isso é triste. E mais triste ainda é que existem pessoas que só se interessam pela parte do "mas...". Talvez por isso que existam tantas desculpas pra felicidade no mundo.

Dessa vez, ando sorrindo sem ter medo de ninguém. Porque a minha vida, afinal, está nas minhas mãos. E nas de Deus.

E, como diria o Sivuca e o Chico,


"pela minha lei, a gente era (é) obrigado a ser feliz."

7 comentários:

... disse...

as vezes é bem complicado pensar assim...mas eu acredito que ser feliz é uma escolha, sim.
e suas palavras, como sempre, me fazem tão bem Vivi...
=***

... disse...

ah... sou eu, poliana! =)

Bel Ximenes disse...

Oi Vivi! Nem sempre posso passar por aqui para me deliciar com suas palavras, pensamentos e idéias tão coerentemente expostas... mas passo... e hoje me deparei com esse texto! Como sempre, fantástico! O que posso te dizer sobre ele? Bem, quando fiz trinta anos, pensei que teria uma crise... mas me surpreendi ao perceber que depois dos trinta, verdadeiramente me descobri... hoje, sei realmente quem sou, o que quero, o que não quero e aonde quero chegar... Ao chegar nos “trinta”, a cortina da ilusão e do mundo cor de rosa finalmente caiu e então consegui realmente enxergar o mundo tal qual ele é. Então, aprendi que maturidade e experiência andam juntas. Mas o que realmente precisamos é ter sabedoria divina para poder tomar as decisões corretas e experimentar o gostinho fantástico da felicidade! Parabéns por mais um texto, Vivi! Beijão

Ana Cecília disse...

Hummm!!! Que texto lindo!!Lindo, mais ainda pq senti sua felicidade sendo exalada...
Demoramos, mas aprendemos sim q a felicidade é uma escolha exclusivamente nossa. Fico feliz q vc tenha feito essa escolha e esteja determinada a seguir seu seu caminho rumo a felicidade...
Só pra completar o pensamento, uma citação de Rousseau:

" Aprendi com base em minha própria experiência que a fonte da felicidade reside dentro de nós e que não está no poder dos homens fazer com que fique realmente desgostosa uma pessoa que está DETERMINADA A SER FELIZ"
(Rousseau)

Bjos!!!

Felipe disse...

Para pessoas que pensam demais ( como eu, como vc, como tantas pessoas) analisar, analisar e analisar é quase que automático e ao mesmo tempo cansativo DEMAIS!Às vezes,( na maioria das vezes) queria pensar menos e me permitir mais.
Mas como vc mesma disse, trata-se da maturidade que sempre vai chegando, batendo à porta, em constantes visitas pra quem sabe lhe oferecer as boas vindas.
Que bom que vc está construindo o seu caminho. É mais fácil seguir por um pronto, seguro, assim dizem os que sempre fazem as mesmas coisas.Muita gente que sempre faz a mesma coisa tb pode ser feliz, mas ser um feliz "diferente" faz toda diferença e só quem o é sabe como é.
Bjão.

Camila disse...

Estava lendo este post e lembrando de Recife, nossa conversa...
E deu vontade de perguntar, e aquelas regras, ainda existem?
Beijo amiga!

Vivianne disse...

Vocês deviam ter um blog!!!!
Cada comentário ensina.