terça-feira, 15 de junho de 2010

A Copa dos que não foram


Não.Eu não vou falar de futebol, até porque todo mundo do mundo só fala nisso e eu acho um tanto massante ter que ouvir o tempo todo que o Brasil tem mais volantes do que precisa, que devia ter feito mais gols para não enfrentar a Espanha nas oitavas de final, etc,etc. O que eu fiquei pensando hoje no tempo em que o jogo estava parado (o primeiro tempo todo, diga-se de passagem) foi naqueles jogadores que, apesar do clamor popular, não foram pra Copa. Fiquei pensando em como Neymar, Ganso, Ronaldinho Gaúcho, Adriano e tantos outros que tinham chance e não foram escalados, deviam estar pensando: "eu devia estar ali".

Como eu já disse que a postagem não é sobre futebol, vou explicar porque resolvi escrever. JustificarEscrevo justamente por essa frase que ficou na minha mente durante um bom tempo: "eu devia estar ali".

Quantas vezes já vi meus sonhos serem realizados por outras pessoas, ou pior, ver que eu podia estar fazendo a diferença em um determinado lugar, mas para o qual eu não fui escalada. E fico pensando: "e por que eu não estou ali?" Quase sempre, descubro que a culpa não foi do técnico, foi do jogador. Do mesmo modo que Adriano, desperdicei algumas chances de estar onde eu queria estar. Como Ronaldinho, na hora "H" eu não dei o melhor de mim. Semelhante a Ganso e a Neymar, não tive chance de sequer disputar um jogo grande.

Para exemplificar um pouco, eu sempre quis escrever um livro. Mas nunca arrisquei, por me achar inexperiente demais. De repente, vejo uma Thalita Rebouças escrever para adolescentes e virar best seller. E a frase ecoa: "eu devia estar ali".Tenho tanto medo de grandes concursos jurídicos que sequer participo, e quando eu vejo, alguém do mesmo nível que eu é aprovado e empossado. "Eu devia estar ali".Vejo um caos em uma determinada Casa de Acolhimento de crianças e adolescentes de João Pessoa, minha mãe relata como a Diretora se porta e penso, sempre, que devia estar ali.

Mas então, por que eu, Adriano, Ganso, Ronaldinho Gaúcho e tantos outros milhões de pessoas ficam fora do jogo? Será mesmo que a culpa é do Dunga? Receio que não. Apesar de eu não gostar do time, foram eles que mostraram resultados, que foram pros treinos, que acreditaram em si mesmos, que se superaram. Eu preciso é ter humildade de saber que não sou craque, mas nunca achar que eu não posso sequer ser reserva.

Acreditar em si mesmo deve passear entre esses dois extremos: a estrela da seleção quase sempre fica no meio do campo. E brilha.

Me aguardem em 2014! ;)

5 comentários:

Elias disse...

A analogia é perfeita!
Assim como esses jogadores comuns da seleção, nós podemos realizar nossos sonhos. A lição que fica é que temos de tentar, mantendo o foco e o equilíbrio.

No dia que você estiver lá, Vi, com a 10 da seleção, saiba que haverão muitos torcedores que sempre acreditaram em você. Eu serei um deles, mas peço a Deus que me permita mais que torcer, quero estar bem próximo, dentro de campo, fazendo tabelinhas...

Bola pra frente!
Grande beijo

Ana Cecília disse...

Oi Vivianne!!
Fazia tempo que deixava meu recadinho por aqui, embora o Nu Canto seja passagem obrigatória diária para mim...
Em relação à esse o que posso dizer? Que nesse exato momento, foi um verdadeiro "acorda" para mim...
Por isso, mais uma vez, obrigada por nos encantar e nos ensinar com tanta sensibilidade...
Ah! Escreve o livro!!!!Please!!! Nós agradecemosss e muito!

Bjoss,

Vivianne disse...

Posso imprimir esses comentários e guardá-los para sempre? ;)

Luana Magalle disse...

Adorei os comentários, Vivi´s, principalmente das tabelinhas de Elias!

Mas gostei ainda mais do texto, concluindo que: vc pode (e deve) estar lá!!!!

Estamos esperando!!! =)
Beijos

Felipe disse...

Opa, quero o livro autografado!
Bjão.