sábado, 8 de maio de 2010

Acabei de assistir "As Invasões Bárbaras", do diretor Denys Arcand. Achei que ia dormir no meio do filme, pois apertei o play às 23h, mas não apenas não desgrudei o olho da tela como sinto que vou demorar a dormir. Um filme lindo, emocionante, engraçado, sensível, que me fez relutar em não chorar, mas acabei soluçando com cenas que mexeram com espaços intocáveis aqui dentro. Ao mesmo tempo, rende boas risadas e percepções diferentes: os mais velhos do filme são os que mais riem de si mesmos e da vida, os mais jovens parecem sempre perdidos (alguma semelhança com o mundo?). Diálogos verdadeiros, doloridos, resignados. Calma, aviso aos navegantes: talvez nem todo mundo goste do filme. Só os que sabem sentir.

3 comentários:

Amélie™ disse...

Adoro filme que nos faz pensar, refletir. Amo um bom drama. É o que parece... vou vê-lo!
;)

Vivianne disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vivianne disse...

Vc vai adorar, Amélie!

p.s: Sou fã de Amélie Poulain...ainda vou em Montmartre só pra sentir o gosto do filme!