domingo, 14 de setembro de 2008

No devaneio da tarde

Ultimamente "Há meros devaneios tolos a me torturar", como diria o Zé, em Chão de Giz. Espero que nesta semana eu poste algo que preste por aqui. Tô meio sem saber das coisas. Acho que é pelo fato de eu estar com saudades de tudo aquilo que eu tenho e que, por uma insensata melancolia -palavra que por si só já é triste- penso que vai acabar. Parece estranho,mas nesses dias, fiquei pensando em "tudo que vai". Uma tarde de domingo na minha casa antes algo natural, agora parece um prenúncio das minhas lembranças futuras. E isso me dá uma perspectiva ampla,porém sombria. Ampla porque acabo ligando pros velhos amigos que eu não via, me permitindo dormir além do usual, experimentar ataques de cosquinhas no meu sobrinho. Mas, ao mesmo tempo, logo após me sinto triste em saber que tudo isso que eu vivo agora, amanhã já fará parte da minha população de lembranças. Esquisito,né?
Por isso mesmo é que eu peço a devida licença."Meus vinte anos de boy, that´s over, baby..."

2 comentários:

Camila disse...

Amiga...

Saudades de tu!

Agora tu vai ler os meus textinhos...hahahaha

Beijoooo amore!

Lucas Peixoto disse...

Eu sei bem como é isso... de vez em quando experimento essa saudade. Nesses dias, quero reencontrar todos os velhos amigos, encontrar os amigos de agora, e os de amanhã (aquele povo que a gente gosta, mas ainda n conviveu o bastatnte para dizer que é amigo). Saio ligando para todo mundo, em busca de matar a saudade...